Aviso


Os textos e imagens são da minha autoria. Os que retiro do domínio público estão identificados. Mas, em caso de lapso, não existindo intenção de violação dos direitos de autor, agradeço a informação, sendo desde logo, retirado.

domingo, 4 de novembro de 2012

Comunicar no local de trabalho





O homem tal como qualquer outro animal tem o sentido biológico do seu espaço, território.
Independentemente do espaço físico em que esteja, numa fila de autocarro, no café, na praia, ou no local de trabalho, tem sempre um comportamento natural de guardar a distância – uma distância instintiva para que sinta segurança e por outro lado, respeitam os espaços pessoais dos outros, dos seus interlocutores.
Este comportamento consciente é uma arte que reflete o intimo comportamental de cada um.
No local de trabalho essa consciencialização é fundamental, já que, muitas das grandes decisões empresariais, politicas, esperam por um consenso no que respeita ao tamanho e forma de mesa, a organização das cadeiras consoante o peso que a individualidade tem, no debate e decisão da reunião.
A distância não é uma realidade estática visto que ela só surge muitos anos mais tarde no individuo. O recém-nascido ou o bebe, não tem essa noção. A consciencialização de distância, ou espaço individual surge ao longo do tempo, com o processo da formação do “eu” com a linguagem.
De referir que se trata de uma matéria que está bastante relacionada com as diferentes culturas, a idade e o sexo, o caráter mais ou menos introvertido de cada um, o estatuto social de quem comunica. Isto é, o ser humano é um ser social mas com diferentes distâncias, no relacionamento com os outros.
Apesar dos fatores que interferem com as distâncias de comunicação, pode dizer-se que existem quatro tipos de distâncias:
-Distancia íntima;
-Distancia pessoal;
-Distancia social;
-Distância pública
A distância íntima estende-se cerca de 50 cm para além do corpo físico. A essa distância só é permitida as pessoas dos nossos afetos. Sendo esta distância ultrapassada há um incómodo que obriga a uma reação negativa perante o outro.
A distância pessoal vai até cerca de 150 cm e é comparável entre aquela em que os restantes animais guardam entre si. Apresenta um angulo de visão ao redor, permitindo uma visão – cara a cara, mais inibidora do que lado a lado.
A organização das pessoas numa sala de reunião tem esta distância implícita revelando a escolha dos lugares de poder, lugares esses que dão segurança a quem faz uso deles. É o que acontece na nossa casa, quando escolhemos o mesmo lugar à mesa, ou determinado cantinho para descansar.
A distância social é o que regula propriamente dito a distância que normalmente se mantem na comunicação pessoal. Varia entre os 120 e os 360 cm. Veja-se que é a distância normalmente usada entre a entrada numa sala de atendimento e a rececionista, para que a mesma não se sinta invadida por estranhos.
Conclui-se assim, que a distância íntima condiciona o contacto físico, a pessoal reflete a nossa atitude perante os outros e a distância social corresponde ao nosso respeito pela autoridade, e a distância pública revela o medo das multidões.
No mundo do trabalho é necessário saber gerir estas distâncias sob pena de incorrer no risco de ser desagradável com as consequências que daí possam advir, ainda que, também é necessário atender que a distância pessoal varia reduzindo-se, se a relação for amigável, de cooperação e aumenta se a relação for de competitividade.

Sem comentários:

Enviar um comentário