Aviso


Os textos e imagens são da minha autoria. Os que retiro do domínio público estão identificados. Mas, em caso de lapso, não existindo intenção de violação dos direitos de autor, agradeço a informação, sendo desde logo, retirado.

domingo, 23 de março de 2014

Elaboração de um plano de formação profissional


Um dos setores que as empresas devem estar atentas é, sem dúvida, as áreas de formação, pois só assim, estão aptas a superar a concorrência no mercado.
Trabalhadores qualificados é um bem essencial da empresa.
E nessa perspetiva que a entidade empregadora ao despender parte do capital da empresa para formação o deve fazer, tendo em conta um conjunto de situações de facto que caraterizam a atividade.

Neste sentido, a entidade empregadora, independentemente do previsto na lei, quanto a obrigatoriedade de dar formação aos seus trabalhadores/colaboradores, deve faze um estudo, direcionado essencialmente para duas componentes estruturais da empresa: consciencialização das necessidades e a necessidade de técnicos competentes.
A primeira componente tem em vista a melhorar a eficácia na organização e resolver questões específicas que podem colocar em causa a produtividade da empresa.
Por exemplo, a entidade empregadora constata que determinado trabalhador não executa a tarefa porque não domina o equipamento exigido para aquele fim. Neste caso, pode determinar que esse trabalhador frequente a ação de formação, com o objetivo de melhor produzir.  (As politicas de algumas empresas é de que não se pode dispensar o trabalhador pelo eterno e velho problema, - o trabalhador não pode ser dispensado porque existe falta de pessoal. Este comportamento só adia um problema, que deve ser eliminado pelas camadas dirigentes, já que, pode qualificar-se tal comportamento como um comportamento omissivo, que coloca em causa a rentabilidade da empresa.
Mas como uma empresa não é composta apenas por um trabalhador, cabe a entidade empregadora, elaborar e realizar um programa de formação, considerando que necessita de pessoas competentes.
Cabe neste processo aos dirigentes examinar se há falta de competências do trabalhador, face aos desafios que a empresa terá que superar. E aqui, não se fala apenas, da evolução tecnológica, mas também, o perfil do trabalhador, a constante legislação publicada e as tendências sociais.
Ou seja, as necessidades de formação devem assentar em critérios objetivos, e nunca por critérios preferenciais, melhor ou menor empatia tida para com os trabalhadores.
O processo de formação dos trabalhadores tem várias fases, consoante o tipo organizacional em presença, mas em regra, poderá dizer-se que existem três fases:
1)     Recolha e análise de dados e devida classificação
2)     Formulação de políticas de formação
3)     Custos envolvidos
A primeira fase, a entidade empregadora pode por via de inquérito recolher dados quanto as necessidades reais de formação. Esses dados devem ser analisados tendo em consideração a qualificação e capacidades dos trabalhadores para determinada atividade ou função. (Note-se que estes dados depressa são desatualizados, o que exige do empregador um olhar atento e constante).
A classificação dos desajustes é fundamental para que o programa de formação tenha um universo amplo, sem ambiguidades, tendo consequentemente efeito sobre o orçamento, mais ajustado.
Quanto aos custos envolvidos em formação, normalmente são, elevados, já que, a entidade empregadora terá que suportar os custos referentes:
-a retribuição dos formadores;
- Transporte e alojamento dos participantes;
- A retribuição dos substitutos dos participantes;
Outras despesas acessórias, nomeadamente refeições
Um dirigente sábio analisa o valor despendido com ações de formação e o retorno para a empresa.
Finalizo, com os resultados comparativos (em diversos países) no que respeita ao dispêndio com formação profissional.

País
Montantes
Concretização
Quantificação dos custos
Japão
Avultados (mais do que qualquer país aqui descrito)
Essencialmente em ações de formação no local de trabalho

Não consegui encontrar estudos com essa indicação
França
Avultados
Formação aos candidatos a emprego

Financiamento para do emprego jovem
Não consegui encontrar estudos com essa indicação
EUA
Avultados mas inferior ao Japão e à França

O estudo não especifica
Não consegui encontrar estudos com essa indicação
Canadá
Avultados mas inferior ao Japão EUA e à França
O estudo não especifica
Não consegui encontrar estudos com essa indicação



Sem comentários:

Enviar um comentário